Projeto implantará acompanhamento em saúde para tratamento de tuberculose em penitenciárias de MS

Campo Grande (MS) – O Governo do Estado de Mato Grosso do Sul através da Secretaria de Estado de Saúde participou nesta sexta-feira (26), da abertura oficial do Seminário de Pesquisa em Tuberculose de pessoas privadas de liberdade. O evento contou com a entrega de uma unidade móvel equipada com um aparelho de raio-x  para a realização de exames nas unidades penais, além da assinatura do termo de cooperação para a realização de 4 mil exames para diagnóstico de tuberculose em detentos e agentes penitenciários.

O seminário debate ações em parceria com o projeto desenvolvido pelo médico-infectologista da Fiocruz e professor da UFGD, Julio Henrique Rosa Croda. O projeto tem como objetivo a implantação de um serviço para o tratamento da tuberculose dentro de instituições penais em Mato Grosso do Sul. Para isso, ação contará com a instalação da unidade móvel nos presídios, com uma equipe de profissionais de saúde, além de um trabalho de triagem para verificar a incidência local da doença. Para o professor e coordenador do projeto, os resultados do acompanhamento nas instituições penais servirão de referência para estudos de âmbito nacional.

O professor Julio Croda, coordenador do projeto durante encontro com o governador Reinaldo Azambuja, secretário de saúde Nelson tavares e Secretário de Segurança José Carlos Barbosa

“O projeto é resultado de uma ação coletiva que estará em prática em meados de julho e agosto. Com isso, faremos uma triagem e disponibilizaremos este atendimento nos presídio de Campo grande e dourados inicialmente, que possuem uma população carcerária com mais de 4 mil detentos. Uma de nossas pesquisas em Mato Grosso do Sul mostrou que cerca de 20% dos casos de tuberculose são originadas no interior das penitenciárias. A tuberculose é um problema de questão nacional e o que pretendemos é alcançar a meta da Organização Mundial de Saúde (OMS) de menos de dez casos por 100 mil habitantes durante o nosso acompanhamento, beneficiando toda a sociedade”, afirmou o professor.

Além do governo do estado, o projeto também tem a parceria de instituições como: Ministério da Saúde, UFGD, UFMS, Fiocruz, Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, Universidade de Yale (EUA), Universidade de Stanford (EUA) e Universidade Nacional de Caaguazu (Paraguai).

Secretário de Saúde Nelson Tavares destacou a referência que MS será com a realização do projeto nas unidades penais

Para o secretário de estado de saúde, Nelson Tavares, o debate das ações em saúde para o tratamento da tuberculose nas instituições penais com vários profissionais da área abre oportunidades para o fortalecimento de novos tratamentos buscando a melhoria dos serviços em saúde. “É uma grande oportunidade para desenvolvermos maiores ações no tratamento da tuberculose nos presídios, além de apoiarmos um trabalho inovador desencadeado pelo professor Julio Croda. Com isso, Mato Grosso do Sul se torna referência mundial em um trabalho com importantes parcerias com o único objetivo de implementar cada vez mais os avanços na área de saúde”, destacou o secretário.

O debate sobre políticas públicas em saúde para o tratamento da tuberculose na população privada de liberdade será tema nos dias 26, 27 e 28 de maio do Seminário de Pesquisa em Tuberculose de pessoas privadas de liberdade. Durante os três dias pesquisadores nacionais, internacionais, gestores estaduais e municipais apresentarão propostas e debaterão projetos direcionados para a erradicação da tuberculose na população privada de liberdade.

 

Jefferson Gonçalves – Secretaria de Estado de Saúde (SES)

Fotos: Chico Ribeiro