Secretário visita pós-operatório de cirurgias eletivas no Hospital do Câncer

Campo Grande (MS)- O secretário de Estado de Saúde, Carlos Alberto Coimbra,  esteve nessa quarta-feira (7) no Hospital do Câncer Alfredo Abrão, em Campo Grande, onde acontecem os retornos de pacientes que passaram pelas cirurgias eletivas de catarata, em dezembro, na ação estratégica e emergencial da SES (Secretaria de Estado de Saúde).

“Muitos pacientes satisfeitos, e esse é o objetivo principal. Atender com respeito e proporcionar uma vida saudável e com mais qualidade para essas pessoas”, disse o secretário.

Coimbra caminhou pelos corredores, conversou com os pacientes e acompanhou as consultas.

Ação

Em dezembro, para impedir que municípios de Mato Grosso do Sul perdessem o recurso do Ministério da Saúde, encaminhado especificamente para cirurgias eletivas oftalmológicas, a SES planejou o atendimento  “de forma emergencial”, de acordo com pactuação feita com gestores municipais. “Se os municípios não fizessem  as cirurgias, na ápoca, eles perderiam o dinheiro. Na verdade, deixariam de ganhar porque o recurso será depositado até fevereiro pelo Governo Federal”, relembrou o secretário de Estado de Saúde, Carlos Alberto Coimbra.

Foram mais de 18 mil procedimentos oftalmológicos e 2,2 mil consultas, em duas semanas. Foram beneficiados com a ação os pacientes que aguardavam na fila do SUS (Sistema único de Saúde). Ultrapassando as expectativas, a ação executou 2,3 mil cirurgias, contra a previsão inicial de 1,2 mil. O projeto deu seguimento à filosofia da Caravana da Saúde, onde o principal objetivo é zerar a fila de espera por procedimentos.

“Não tive problema no pós-operatório”, conta Adolfo.

“Eu estou enxergando muito bem e estou muito feliz. Já usava óculos, por causa da catarata, há mais de 30 anos. Essa cirurgia foi boa demais”, disse o aposentado Adolfo Alvarenga, 74 anos.

Acelerador Linear

Durante a visita ao Hospital do Câncer, o secretário visitou o local da obra onde será implantado o  novo acelerador linear que substituirá o atual equipamento utilizado pelo hospital. “Esperamos que em abril tudo já esteja funcionando”, disse o secretário de Saúde.

O equipamento será montado no mesmo bunker utilizado pelo hospital., No entanto, o Governo do Estado custeou as adequações, e reformas necessárias para a instalação do aparelho.  No total, o Governo investiu, aproximadamente, R$ 1,5 milhão.

A expectativa é que com o acelerador linear o Hospital do Câncer possa dobrar o número de atendimentos diários, zerando a fila de espera para radioterapia em Mato Grosso do Sul.

Luciana Brazil- assessoria de imprensa da SES.